NO AR
Programa: Paradao de Sucessos

Sete frigoríficos de SC são habilitados a exportar subprodutos de suínos à China

A ministra da Agricultura Tereza Cristina anunciou nesta segunda-feira (4) que autoridades sanitárias da China acabam de habilitar sete plantas frigoríficas de Santa Catarina a exportar subprodutos de carne suína ao seu mercado. Os negócios podem ter início imediatamente. Essa decisão da China é mais um reconhecimento ao status sanitário diferenciado do Estado, que é o único do Brasil livre de aftosa sem vacinação. É em função disso que Santa Catarina lidera as exportações de carne suína no país.

As agroindústrias catarinenses já tinham sido informadas dessa negociação mês passado e a viagem do presidente Jair Bolsonaro ao país aceleraria a decisão, o que foi confirmado agora. A medida beneficia plantas que já exportam carne suína ao país asiático.

Segundo o gerente executivo do Sindicato das Indústrias de Carne e Derivados do Estado (Sindicarnes-SC), Jorge de Lima, essa é mais uma oportunidade para ampliar as exportações de carne suína que estão em alta desde o começo do ano. Ele observa que a China tem uma necessidade especial de importação de carne suína porque teve que reduzir em 40% a sua produção, que é a maior do mundo, porque está enfrentando surto de peste suína africana e também de peste suína clássica.

Projeções de agroindústrias são de que essa nova abertura chinesa permitirá exportar cerca de 7 mil toneladas por mês de subprodutos, que somarão faturamento mensal da ordem de US$ 15 milhões, ou US$ 180 milhões por ano.

No grupo de subprodutos, também chamados miúdos, estão pé, língua, focinho, máscara, orelha e rabo de suínos. São produtos comestíveis que hoje são usados no Brasil para a produção de proteína animal.

Fonte:NSC Total

Dirigente do DNIT em SC mantém otimismo em relação à duplicação da BR-470

Apesar da falta de recursos, o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) em Santa Catarina, Ronaldo Carioni Barbosa, quase sempre demonstra otimismo em relação à duplicação da BR-470. Na quarta-feira passada ele percorreu cerca de 350 quilômetros na rodovia. Foi e voltou de Navegantes a Pouso Redondo e deixou nossa principal artéria com a sensação de satisfação. Na avaliação dele, os recursos que vieram neste ano foram bem aplicados.

Carioni também se mostra otimista em relação ao dinheiro que pode vir para a duplicação da rodovia em 2020. Ele vislumbra algo em torno de R$ 200 milhões, sendo metade do orçamento da União e a outra metade de emendas parlamentares.

Neste quesito temos que ser mais realistas. A proposta inicial de lei orçamentária, que tramita no Congresso e pode ser modificada, previa R$ 50 milhões. Dificilmente alcançaremos os R$ 200 milhões, mas seria importante recebermos mais do que neste ano.

Prioridade na prática

É sempre bom lembrar que o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse em junho, quando liberou os primeiros oito quilômetros de pista duplicada, que a obra da BR-470 era prioridade do governo federal em Santa Catarina. Confirmar as palavras com atos do governo seria de extrema importância, não só para o andamento da duplicação, mas também para a credibilidade do governo junto às lideranças do Vale do Itajaí.

Ao saber, por exemplo, que a proposta da União para o orçamento de 2020 destinava mais dinheiro para a duplicação da BR-280, no Norte do estado, do que para a BR-470, 48 entidades da região enviaram ofício ao ministério pedindo explicações. Não receberam resposta, mas ela pode vir indiretamente nas decisões.

Fonte: NSC Total

Homem em situação de rua de SC estuda para 2º dia do Enem: 'Tem que ter objetivo'

Arno Enrico Muniz da Silva, de 46 anos, passa as noites embaixo de uma marquise de um prédio do Centro de Blumenau. Ele se prepara com livros doados e quer realizar sonho de se formar em Direito.

As marquises dos prédios ficaram para trás por algumas horas para um morador de Blumenau, no Vale do Itajaí, durante a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo (3). Em situação de rua há quatro anos, Arno Enrico Muniz da Silva, de 46 anos, não deixou de lado o sonho de cursar Direito e estuda para a segunda fase da prova, que ocorre no próximo domingo (10).

"Tem que ter objetivo, se tiver e correr atrás, o universo conspira a seu favor", afirma Arno.
Arno perdeu o emprego de auxiliar de expedição, ficou sem dinheiro até para pagar aluguel e precisou ir para as ruas. Escolheu a marquise de um prédio no Centro de Blumenau para passar as noites e sempre carrega com ele os livros que ganhou. "Se deixo minhas coisas aqui, quando chego não tem mais nada", explica.

Apesar das dificuldades, não desistiu de ir em busca dos seus sonhos e foi nos livros que viu a oportunidade de tentar mudar. É utilizando os livros doados que ele se dedica para o Enem.

Arno terminou os estudos no ano passado, cursou o ensino voltado para jovens e adultos e agora tenta passar pelas provas do Enem para ter um curso superior.

"Corri atrás: fiz primeiro o ensino fundamental e disseram: 'pode ir além. Botei fé e fiz o Médio. Agora é tentar passar no Enem para tentar pelo menos um desconto na universidade. Quero fazer Direito", detalha Arno.

Busca por emprego

A história do Arno despertou o interesse de outras pessoas. Naime, por exemplo, conheceu o homem em situação de rua por uma publicação nas redes sociais.

"O Arno é a prova viva: mesmo estando em um local onde ele está vulnerável, consegue estudar", diz Naime. Ela agora tem se empenhado em conseguir um emprego para o novo amigo. Quem puder ajudar, pode procurar a Naime pelo telefone: (47) 99124-5636.

Fonte G1 SC

Ao Vivo

Trânsito Agora

Tempo