NO AR
Programa: Classicos Sertanejos

Acélio Casagrande assume Saúde de SC e terá que gerir dívida de mais de R$ 1 bilhão

Novo secretário diz que quer cortar sobreaviso, hora-plantão e cargos de confiança. Ele já atuou como adjunto na pasta de 2012 a 2014.

Acélio Casagrande assumiu nesta segunda-feira (22) o cargo de secretário da Saúde de Santa Catarina. Ele é o quarto a ocupar o posto nos últimos quatro anos. A secretaria tem atualmente dívida de R$ 1.083.958.642,18, segundo o Tribunal de Contas do Estado (TCE), como mostrou o NSC Notícias.
Ex-secretário estadual de Articulação Nacional, Casagrande foi adjunto da Saúde de 2012 a 2014 e duas vezes secretário de Saúde de Criciúma, cidade do Sul catarinense.
 

Cortes
 
A dívida informada pelo TCE é com fornecedores, entidades e hospitais. O novo secretário de Saúde e o adjunto dele, Marcelo Lemos dos Reis, precisam vencer este valor com um caixa apertado.


"Vamos cortar, se for possível, não atrapalhando o atendimento, sobreaviso. Será feita uma análise rigorosa de sobreaviso que tem nos nossos hospitais, hora-plantão. Reduzindo o custo da máquina, diminuindo inclusive cargos de confiança. Não é muito, mas o pouco que a gente conseguir vai ajudar num paciente a mais ser atendido. Trabalhar muito a parceria com os municípios, com as secretarias municipais de saúde, trabalhando muito a prevenção", afirmou Casagrande.


O secretário disse também que aposta em cortar os gastos com transporte de passageiros de uma região para outra. "Nós estamos estudando em cima de indicadores qual a região que tem necessidade e qual que não tem. Qual o contrato que pode ser mexido para melhorar o atendimento de cada região".
Além de mudanças, a pasta tem o desafio de manter contratos. "Vamos controlar isso mensalmente. Produziu aquilo que está no contrato, recebe. Não produziu, não recebe", disse o secretário.


Nesta terça (23), no segundo dia na pasta, o secretário vai atrás de articulações em Brasília. Casagrande viaja para um encontro nacional de secretários, mas promete também uma reunião com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, para reivindicar mais recursos para a Saúde de Santa Catarina.

"Eu acredito que nós podemos chegar a uns R$ 15 milhões por mês a mais daquilo que se tem", afirmou Casagrande.

Fonte: G1 SC
 

Ao Vivo

Trânsito Agora

Tempo