NO AR
Programa: Encontro com o Rei

‘A sociedade tem que ter um comportamento diferente’, diz Salles sobre queimadas em SC

Ministro do Meio Ambiente concedeu entrevista exclusiva à NDTV e falou, ainda, sobre o novo Marco do Saneamento e o agronegócio catarinense

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, falou sobre as queimadas em Santa Catarina, o novo Marco Regulatório do Saneamento e a força do agronegócio catarinense em entrevista ao repórter Osvaldo Sagaz, do Grupo ND.

“O Brasil é exemplo na área ambiental agrícola para o mundo, temos o código florestal, uma série de regras que são obedecidas, e a agropecuária brasileira dá exemplo, portanto, de sustentabilidade. Este é um governo que valoriza muito o campo, há parceria absoluta entre o ministério do meio ambiente e o ministério da agricultura, em benefício dos brasileiros, da produção brasileira, da riqueza no campo, da geração de emprego no campo”, afirmou o ministro.

Qual o grande problema ambiental no Brasil?
“Nós vimos agora com a pandemia uma diminuição das atividades urbanas que resultou na melhoria da qualidade do ar, da água. E o campo, em paralelo, continuou trabalhando, o que demonstra que o grande problema ambiental brasileiro não está no campo, está nas cidades, pela ausência de saneamento, por problemas na gestão do lixo e também na poluição do oceano. Então nós temos que cuidar da saúde das pessoas, do meio ambiente e da sustentabilidade, principalmente na área urbana, que é onde vive 80% da população brasileira em média.”

E o novo Marco do Saneamento?
“Com a votação do novo marco legal de saneamento, nós poderemos atrair muito mais investimentos para finalmente poder avançar na cobertura de saneamento e na coleta e tratamento de esgoto. Faremos um grande movimento de fiscalização da eficiência das empresas de tratamento de esgoto para que a gente tenha finalmente uma melhora. Da mesma forma, o governo tem dado apoio a municípios, inclusive em Santa Catarina, para organizar consórcios de gestão de resíduos, ou seja, para resolver o problema do lixo. Não é possível, em pleno século XXI, nós termos o saneamento e o lixo tratados com tanto descaso.”

Santa Catarina teve um aumento significativo de queimadas. Tem a possibilidade do governo federal atuar também em outros estados, em parceria com a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros, para a gente tentar diminuir esses números assustadores?
“Nós, felizmente, aqui em Santa Catarina, temos uma ótima relação com o Corpo de Bombeiros, e a questão do incêndio criminoso é caso de polícia, que tem de ser tratado no âmbito da Polícia Civil, eventualmente também competência do Ibama e do ICMBio, então nós estamos fazendo um trabalho em conjunto. O governo contratou 1.400 novos brigadistas para crescer neste trabalho, mas é preciso também que a sociedade contribua e entenda que não é possível continuar colocando fogo em alguns lugares.”

Então essa é uma ação conjunta inclusive com a consciência da própria população?
“Toda a sociedade, na área ambiental, evoluiu muito e é importante que seja assim. Desde pequenos hábitos como separar o lixo em casa, destinar o lixo adequadamente, fazer a reciclagem […]. Por outro lado dar a destinação correta aos resíduos, não colocar fogo, ter as medidas adequadas para a prevenção do fogo, então não basta apenas combater os incêndios, é importante prevenir. Então isso também permeia toda a sociedade nesta questão da educação ambiental e novos comportamentos, e o governo apoia tudo isso, mas reconhece que é a sociedade que tem que ter, junto com os governos municipal, estadual e federal, um comportamento diferente.”

Fonte: NDTV

Ao Vivo

Trânsito Agora

Tempo