NO AR
Programa: Bem Sertanejo

Casal é preso por manter 13 filhos acorrentados nos Estados Unidos

Uma barbárie foi revelada nesta segunda-feira em um povoado da Califórnia, onde a polícia descobriu que treze irmãos, com entre 29 e 2 anos, eram mantidos acorrentados, famintos e imersos na sujeira na casa de seus pais. A polícia encontrou o local alertada por uma das vítimas, uma jovem de 17 anos, que conseguiu escapar da casa, nos arredores de Perris, a sudoeste de Los Angeles.

A adolescente telefonou para o serviço de emergência 911 de um celular que encontrou na residência. Segundo a polícia, ela "afirmou que seus doze irmãos e irmãs eram mantidos em cativeiro na casa por seus pais, precisando que alguns estavam acorrentados".

Os policiais se dirigiram então para a residência de David Turpin e sua esposa, Louise, de 57 e 49 anos, onde encontraram várias pessoas acorrentadas a suas camas em meio a um cheiro terrível.

A princípio, a polícia pensou que se tratava de 12 menores, "desnutridos e muito sujos", mas depois percebeu que havia sete adultos, com entre 18 e 29 anos. Seis das 13 vítimas (incluindo a adolescente que fugiu) eram menores, e a mais nova tinha apenas dois anos.

As autoridades fixaram uma fiança de 9 milhões de dólares para os pais, denunciados por tortura, cárcere privado e por colocar os filhos em risco.

Interrogados pela polícia, os pais não puderam "dar qualquer explicação razoável sobre por que motivo mantinham os filhos acorrentados".

 
As vítimas foram alimentadas e estão recebendo tratamento, enquanto os serviços de defesa da infância abriram uma investigação.

David Turpin aparece registrado no Diretório Escolar da Califórnia como diretor do colégio particular Sandcastle Day School, inaugurado em março de 2011, cujo endereço é o mesmo da residência dos Turpin.

A escola teria apenas seis estudantes, com entre 10 e 18 anos, em graus diferentes, segundo os últimos dados do departamento estadual de educação.

Os Turpin declararam falência no mesmo ano em que abriram a escola, com uma dívida acumulada de entre 100 mil e 500 mil dólares, revelam documentos judiciais citados pelo jornal The New York Times.

O jornal assinala que no momento David Turpin trabalhava como engenheiro para o grupo de defesa Northrop Grumman, com um salário anual de 140 mil dólares, enquanto Louise aparece como dona de casa.

Uma página pessoal do Facebook  traz uma foto dos dois no que parece ser uma cerimônia de casamento.

Louise Turpin está com um vestido branco, David aparece de terno e o casal é rodeado por 13 crianças ou jovens. As meninas, de cabelo longo e castanho, estão com o mesmo modelo de vestido púrpura com estampado escocês, excepto uma bebê, vestida de fúcsia. Os meninos aparecem todos como o mesmo corte de cabelo de David Turpin.

O casal aparece diante de um homem vestido como Elvis Presley segurando um microfone, como nas cerimônias de casamento "kitsch" de Las Vegas.

Outra foto, de abril de 2016, revela David e Louise Turpin rodeados de 13 jovens, todos sorridentes, com jeans e camisas vermelhas.

Em uma das fotos, a bebê está vestida com uma camiseta onde se pode ler: "Mamãe me ama".

Fonte: Diário Catarinense

SC projeta receber 1,5 milhão de estrangeiros até o fim do verão

Alta temporada será considerada até o dia 28 de fevereiro

Eles já chegaram — e em maior número do que na temporada passada. Os estrangeiros estão por todas as partes do litoral de Santa Catarina: praias, shoppings, calçadões e rodovias. Estimativa divulgada pela Santur, órgão oficial de divulgação do turismo catarinense, aponta que o Estado deve receber 1,5 milhão de visitantes internacionais durante a alta temporada de verão, que vai até o dia 28 de fevereiro. Caso a expectativa se confirme, será um aumento de 36,3% em relação ao verão passado, quando 1,1 milhão de turistas de fora do país vieram.

 
A maioria vem da nossa vizinha Argentina. Nesta temporada, eles representarão aproximadamente 80% dos turistas estrangeiros. Florianópolis e Balneário Camboriú são os destinos favoritos daqueles que chegam por via terrestre, com 31% e 24% das preferências, respectivamente. Na Capital, as águas calmas e quentes de Canasvieiras, no norte da Ilha, historicamente atraem os "hermanos".

O casal de funcionários públicos Carlos Miranda, 64 anos, e Susana Blanco, 58, curtiu a praia mesmo com o tempo nublado da manhã desta segunda-feira. Os dois vieram pela primeira vez ao litoral catarinense em 2010, por conta da indicação de um primo. Desde então, têm vindo praticamente todos os verões — os cinco últimos foram sem falta.

Provenientes da cidade de Santa Rosa La Pampa, na Argentina, eles pegaram aproximadamente 2,3 mil quilômetros de estrada para chegar a Santa Catarina, onde permanecerão por duas semanas. Além de Canasvieiras, também devem visitar a região de Bombinhas, no litoral Norte.

— Gostamos da calma. As pessoas aqui são muito amáveis — diz Miranda. 

Não é só de turistas fiéis, porém, que vive o litoral catarinense. O aposentado buenairense Jorge Lascano, 71 anos, não vinha ao Estado desde 2003. Desta vez, contudo, resolveu trazer toda a família para comemorar o aniversário da esposa. 

— Somos 22 ao todo, incluindo filhos, noras, genros e netos — conta Lascano, enquanto caminha junto ao trapiche de Canasvieiras.

Outro casal de Buenos Aires que voltou a Florianópolis neste ano foi o de Roberto Pellegrino, 75, e Maria del Carmen Pizzo, 73. Eles lembram de ter vindo pela primeira vez à cidade há cerca de 30 anos e dizem ter visto muitas mudanças, nem todas elas positivas.

— A água está muito suja e a faixa de areia encolheu muito. Tem pontos em que mal dá para passar — reclama Pellegrino. 

Explicações econômicas

Para o presidente da Santur, Valdir Walendowsky, os dois principais fatores que explicam a vinda em massa de turistas do Mercosul são: proximidade e aumento do custo de vida nos países vizinhos. Explica-se: Santa Catarina, dentro do Brasil, é o destino de praia mais perto para muitos argentinos, uruguaios e paraguaios que desejam sair de seus países. Além disso, muitos aproveitam a viagem para comprar produtos que saem mais em conta no Brasil do que em suas nações, como é o caso de eletrodomésticos, alguns eletrônicos, roupas e peças para carros.

— São algumas das nossas vantagens competitivas neste momento. O custo de vida nesses países está significativamente mais alto do que no Brasil. Do ponto de vista geral, a economia dos nossos vizinhos também está um pouco melhor e eles têm a cultura de curtir as férias independentemente de questões macroeconômicas — opina Walendowsky.

Um otimismo moderado também se enxerga entre o setor de bares e restaurantes. Uma pesquisa feita pela seção catarinense da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) apontou que sete entre cada 10 empresários da área notaram um aumento no número de estrangeiros entre Natal e  Ano-Novo.

— O câmbio está um pouco mais favorecido para eles em relação à temporada passada. A inflação no Brasil também está um pouco menor, o que faz com que a perda do poder de compra seja menor aqui — diz o presidente da Abrasel-SC, Raphael Dabdab.

O secretário estadual de turismo, cultura e esporte, Leonel Pavan, diz que o número de voos charters cresceu significativamente, já que o aeroporto de Navegantes, no litoral Norte, foi autorizado a recebê-los pela primeira vez. A chegada de cruzeiros em Balneário Camboriú é outro ponto celebrado por Pavan:

— São mais de 20 escalas programadas que devem injetar mais de R$ 40 milhões na economia local, além de Porto Belo, que também recebe cruzeiros e deve receber 40 mil turistas em pelo menos 18 escalas. O movimento é muito grande e toda a economia está sendo beneficiada.

Florianópolis como destino favorito

Um levantamento realizado pelo site Mercado Livre indicou que o Brasil é mesmo o destino favorito dos argentinos que pretendem tirar férias no começo de 2018. O país é apontando por 47% dos participantes da pesquisa. Entre esses, Florianópolis foi escolhida por 37,3%, mais que o dobro do segundo colocado, o Rio de Janeiro (18,1%). Na sequência, aparecem Salvador (9,5%) e Recife (7,3%).

Fonte: Jornal de Santa Catarina

SC fecha 2017 com taxa recorde de doadores de órgãos

Foram 40,28 doadores por milhão de população; número mais alto da história do Estado

Santa Catarina fechou o ano com crescimento no número de doadores de órgãos. Em 2017, foram registrados 282 doadores de múltiplos órgãos, o que corresponde a 40,28 doadores por milhão de população no ano – número recorde na história do Estado. No país, o indicador ainda não foi divulgado, mas até setembro era de 16,6. Ou seja, SC teria uma taxa cerca de três vezes maior do que a média brasileira.

 
Para o coordenador da Central Estadual de Transplantes de Santa Catarina (SC Transplantes) do governo do Estado, Joel de Andrade, esse alto índice está relacionado com a maior detecção de morte encefálica e maior efetivação dessas mortes em transplantes, chegando a um percentual de 49,6%. Outro fator é que tem diminuído o número de famílias que se negam a fazer a doação. Hoje, esse percentual de negativa é de 33%. Para Andrade, há uma maior sensibilização da população, até porque o Estado lidera há praticamente 13 anos ininterruptos o ranking de doação de órgãos no país.

Apesar do aumento no número de doadores, o número de transplantes caiu em relação a 2016, de 1286 para 1217, afinal um mesmo paciente pode doar múltiplos órgãos e tecidos. Andrade acredita que a queda está relacionada à diminuição na fila de espera para doação de córneas e a casos em que o órgão doado é levado para atender pacientes em outros Estados.

Outro ponto é a fila de espera por transplantes, que terminou o ano de 2017 com 559 – número acima de dezembro de 2016, quando eram 535. O coordenador defende que o número se mantém praticamente estável e que há equilíbrio entre demanda e doações:

— Nós já tivemos 1,5 mil pacientes na lista de espera. Nossa lista tem encolhido e agora é estacionária, o que é muito raro. 

Juarez Alves Nunes é vice-presidente da Associação dos Pacientes Renais de Santa Catarina (Apar) e passou por um  transplante de rim há 21 anos. Para ele, é fundamental fazer ainda mais campanhas sobre a importância da doação:

— Aumentaram os doadores, mas não aumentaram os transplantes, e isso é uma preocupação. Você tem logística, tem tudo, mas precisa ter a doação.

Nunes defende que famílias conversem sobre o tema em casa, o que facilita a decisão na hora da abordagem da equipe de transplantes.

Fonte: Jornal de Santa Catarina

Jovem de Florianópolis é destaque no Esporte Espetacular

Programa da Rede Globo apresentou reportagem sobre Guto, que tem paralisia cerebral e é formado em educação física

A história de Augusto Delfino, mais conhecido como Guto, de Florianópolis, ganhou destaque na tarde deste domingo no programa Glopo Esporte, da Rede Globo. O repórter Marcos Uchoa contou a história do jovem, que nasceu com paralisia cerebral e por isso não tem movimentos coordenados nos membros e não fala. 

 Apesar de todas as dificuldades, o jovem, segundo reportagem da rádio CBN Diário,  foi o primeiro estudante com paralisia cerebral a se tornar bacharel em Educação Física no Brasil ao se formar pela Unisil, da Pedra Branca, em Palhoça.

Torcedor e frequentador assíduo das partidas do Avaí, Guto emociona amigos e familiares com sua perseverança e alegria.

Na reportagem, o jovem e o repórter encontraram o ídolo Guga Kuerten. Após a exibição, a apresentador Fernanda Gentil ressaltou as lições que o jovem ensina com sua força. 

Fonte: NSC Total (Hora de Santa Catarina)

 

Bebê e 3 adultos morrem em batida frontal no Oeste de SC

Um jovem ficou gravemente ferido. Acidente foi em Vargem nesta terça.

A batida frontal entre um carro e um guincho resultou na morte de um bebê e três adultos na noite desta terça-feira (2) em Vargem, no Oeste catarinense, informou o Corpo de Bombeiros. Um jovem de 18 anos também ficou gravemente ferido.

O acidente ocorreu por volta das 20h15 na BR-282. Todas as vítimas estavam no carro, segundo os bombeiros. O jovem que ficou ferido teve traumatismo craniano, ferimento na cabeça e cortes leves pelo corpo.


Ele foi levado à Fundação Hospitalar Doutor José Athanásio, na cidade vizinha de Campos Novos. A unidade afirmou que ele foi transferido ainda na noite de terça para o Hospital Universitário Santa Terezinha, em Joaçaba, também no Oeste.


Até 22h25, os bombeiros permaneciam no local para retirar as vítimas das ferragens e limpar a pista. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) ainda não tinha informações sobre o acidente.

Fonte: G1 SC

Advogado e mais seis pessoas são presas suspeitas de envolvimento com tráfico de drogas em Jaraguá do Sul

Advogado criminalista seria um dos gerenciadores do tráfico na cidade, segundo a polícia.

Sete pessoas foram presas emJaraguá do Sul, no Norte catarinense, suspeitas de envolvimento com tráfico de drogas. Todos foram detidos durante a Operação Themis deflagrada pela Polícia Civil na manhã desta sexta-feira (8). Entre os presos está um advogado criminalista de 43 anos.
 

“O advogado praticamente era coordenador das atividades, estava junto com o genro e outro amigo gerenciando o tráfico. Eles vendiam drogas há vários anos”, afirma o delegado Eric Uratani.
 
Mandados de prisão e busca e apreensão
 
Segundo o delegado, o advogado foi preso preventivamente por tráfico, organização criminosa e associação ao tráfico. Na casa,dele, que fica anexa ao escritório de advocacia, a polícia encontrou 500 gramas de maconha e uma pistola calibre 765 sem registro. Por isso, ele também foi preso também em flagrante por tráfico e posse ilegal de arma de fogo.


O genro do advogado foi preso preventivamente e também em fragrante por tráfico porque na casa dele foi encontrado 500 gramas de cocaína e R$ 10 mil em dinheiro que seria proveniente do tráfico.
Duas irmãs foram presas em flagrante por tráfico enquanto a polícia cumpria mandados de busca e apreensão. Na casa delas, a polícia encontrou 10 buchas de cocaína embaladas para venda e maconha. A polícia não contabilizou a quantidade maconha, mas seria de 50 a 100 gramas, segundo o delegado.
Um homem foi preso preventivamente e outro homem foi preso temporariamente. Na casa deste, a polícia encontrou apenas uma balança de precisão, mas não houve flagrante.


Outra mulher foi presa em flagrante por tráfico enquanto a polícia cumpria mandados de condução coercitiva. Na casa dela havia 35 gramas de crack e uma balança de precisão, segundo o delegado.
A polícia não confirmou as idades dos presos, além do advogado.
 

Investigações
 
“As investigações começaram em março a partir de um roubo. Um casal vendeu um terreno e saiu da lotérica com R$ 115 mil. Eles foram abordados quando chegavam na casa de um familiar. O advogado surgiu como primeiro suspeito porque era primo de uma das vítimas e coproprietário do terreno e era o único que sabia o dia que o primo ia receber o valor”, informou o delegado.

Segundo ele, a investigação apontou que os suspeitos de envolvimento no roubo participam de uma organização criminosa.
 

“O nome da operação é Themis, que na mitologia grega é a deusa da Justiça, o principal alvo é uma pessoa que exerce uma função essencial para a Justiça e o advogado também tem tatuada a Themis em um dos braços”.
 
O delegado ainda tenta esclarecer a autoria do roubo ao casal em março.
A polícia pretende cumprir ainda nesta sexta-feira dois mandados de busca e apreensão e dois de condução coercitiva.

Fonte: G1 SC

Ao Vivo

Trânsito Agora

Tempo