NO AR
Programa: Paradao de Sucessos

Famílias trabalham sem equipamentos de proteção e condições de higiene em lavoura na Serra de SC

Vinte e quatro pessoas foram colocadas em terreno arrendado pelo patrão. Responsável pela lavoura disse que deu dinheiro extra para compra de equipamentos.

Há seis meses, famílias que vieram do Oeste catarinense estão trabalhando em uma lavoura em Rio Rufino, na Serra, sem equipamentos de proteção individual ou condições de higiene e moradia. Eles também reclamam que estão sem dinheiro para comprar comida. A Secretaria Municipal de Assistência Social afirmou que presta ajuda às famílias, como mostrou o NSC Notícias.
O responsável pela lavoura disse que nesta terça (17) deve pagar as verbas rescisórias e dispensar todos os trabalhadores. Disse ainda que deu dinheiro extra para eles comprarem os próprios equipamentos de segurança e que era o único a passar agrotóxicos, sempre respeitando os limites. Sobre as condições de moradia, disse que foi uma opção das famílias para não pagar aluguel. O Ministério do Trabalho foi acionado para verificar essa situação, mas ainda não se manifestou.
 

Situação das famílias
 
Os trabalhadores vieram de Dionísio Cerqueira para atuar na colheita do tomate. Em Rio Rufino, a promessa era de uma vida melhor, mas não foi isso que eles encontraram.

Ao todo, 24 pessoas, entre adultos e crianças, moram em um terreno arrendado pelo patrão. O lugar construído para eles morarem, de madeira, tem pouca estrutura, com colchões no chão.
Sem dinheiro, a comida dos últimos dias foi farinha. "Nós estávamos passando necessidade já, por falta de comida, só com farinha, e íamos pescar para nós termos a nossa mistura", disse uma trabalhadora, que não quis se identificar.

Todas essas pessoas utilizam apenas um banheiro, uma casinhola de madeira, construída sem nenhum tipo de saneamento básico. O esgoto corre a céu aberto.

Jovens de 14 anos passavam veneno sem nenhum equipamento de proteção. "A gente trabalhava na chuva, descalço, se atolava tudo no barro. Ele [patrão] passando veneno com o trator e a gente trabalhando também no meio do veneno", disse outra trabalhadora.
Sobre os equipamentos de proteção, ela disse que "a gente cobrava todo o mês dele. Prometia 'tal dia eu trago' e nunca trouxe".
 

Denúncia e ajuda
 
O caso foi denunciado pelos próprios moradores à polícia. O secretário de Assistência Social de Rio Rufino, Jucelino Ribeiro Moraes, disse que tomou conhecimento do assunto na última semana e passou a ajudar as famílias. "Estamos auxiliando com alimentação, a locomoção, com passagens, e dentro daquilo que o município tem condição no momento", disse.
Na noite desta segunda, algumas mães e crianças foram embora do local. Os outros moradores ficaram para tentar receber pelo trabalho que fizeram.

Fonte: G1 SC

 

Em SC, 17 contraem gripe A e B neste ano e um morre, diz Dive

Em janeiro, um idoso de 72 anos morreu após contrair a gripe A H3N2.

Santa Catarina teve 17 casos de gripe A e B entre 31 de dezembro de 2017 e 11 de abril de 2018, divulgou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) em boletim nesta quinta-feira (12). O estado teve uma morte: de um idoso de 72 anos morador de Florianópolis. Ele teve gripe A subtipo H3N2, considerado a forma mais comum do ano até o momento em Santa Catarina, segundo a Dive.
Conforme a Dive, em Florianópolis foram confirmados seis casos, em Braço do Norte, dois e um caso foi confirmado em Biguaçu, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville, Lebon Régis, Santo Amaro da Imperatriz, São Miguel do Oeste, Tijucas e Tubarão.
Dos 17 casos registrados, de acordo com a Dive, quatro são de H1N1. Outros 11 são de H3N2 e dois são de Influenza B.
 

Idosos são maioria dos casos
 
Os dados são do boletim epidemiológico divulgado pela Dive apontam que a maioria dos casos de gripe, seis, envolve idosos com mais de 60 anos. Dos 17 casos confirmados, 14 tiveram algum fator de risco associado. Além dos seis idosos, cinco são portadores de doenças crônicas e três gestantes.
Ainda segundo o relatório, 12 pessoas com gripe foram curadas, quatro aguardam recuperação e uma morreu, um idoso de 72 anos. Conforme a Dive, ele era portador de pneumopatia crônica, imunodeficiência/ imunodepressão e câncer de pulmão.
 

Entenda os tipos de influenza e mutações
 
O infectologista Renato Kfouri explica que o vírus influenza é dividido em tipos, subtipos e linhagens. Todas essas variações correspondem a diferenças encontradas no material genético do vírus.
Primeiro, em relação ao tipo, o influenza é dividido em A, B e C. O vírus A e B são os que infectam seres humanos; já o tipo C, não é incluído em vacinas e não tem relevância para a saúde pública até o momento.

Já essas formas H3N2, H1N1, dentre outras, referem-se aos subtipos do influenza A. As letras H e N referem-se a proteínas encontradas na superfície do vírus, respectivamente, neuraminidase e hemaglutinina.
Os números, por sua vez, são referentes a maneira como essa proteína é apresentada, como uma haste mais longa, por exemplo.
Já o influenza B é dividido em duas linhagens, que passaram a circular simultaneamente nos últimos anos.
 

Prevenção
 
Geralmente, as vacinas contra o influenza são disponibilizadas no Brasil entre abril e maio para proteção em junho, período em que o vírus da gripe começa a circular com mais força. Os vírus utilizados para a confecção da vacina são atualizados anualmente e, esse ano, a vacina brasileira ganhou essa nova forma do H3N2 que ajudou a provocar a epidemia mais grave registrada nos EUA nos últimos 13 anos.

Fonte: G1 SC

Foto: Mídias Sociais

Em noite de premiação, Jorge Henrique é eleito o craque do Catarinense; veja a seleção

Confira os vencedores de cada categoria na votação dos melhores do campeonato de 2018

Um dia depois do Figueirense erguer a taça de campeão catarinense, os melhores jogadores, profissionais e dirigentes do campeonato de 2018 foram premiados em um evento realizado na capital. O atacante Jorge Henrique foi eleito o craque do torneio.


A seleção do estadual tem: Jandrei; Apodi, Alemão, Rafael Thyere e Bruno Pacheco; Zé Antônio, Douglas Moreira, Jorge Henrique e Daniel Costa; Rafael Grampola e André Luis. A equipe tem como comandante o técnico Milton Cruz.

Guga, lateral-direito do Avaí, foi eleito a revelação do Catarinense. Na votação do Top da Bola, promovida pelo Globo Esporte, Daniel Costa, do Tubarão, foi o vencedor.


CONFIRA TODOS OS PREMIADOS:


GOLEIRO
Ouro: Jandrei (Chapecoense)
Prata: Denis (Figueirense)
Bronze: Luiz (Criciúma)


LATERAL-DIREITO
Ouro: Apodi (Chapecoense)
Prata: Guga (Avaí)
Bronze: Marcos Vinícius (Tubarão)


LATERAL-ESQUERDO
Ouro: Bruno Pacheco (Chapecoense)
Prata: Alex Ruan (Joinville)
Bronze: João Paulo (Avaí)


ZAGUEIROS
Ouro: Alemão (Avaí) e Rafael Thyere (Chapecoense)
Prata: Betão (Avaí) e Douglas Silva (Brusque)
Bronze: Nery Bareiro (Chapecoense) e Sandro (Criciúma)


VOLANTES
Ouro: Douglas Moreira (Criciúma) e Zé Antônio (Figueirense)
Prata: Amaral (Chapecoense) e Gelson (Concórdia)
Bronze: Betinho (Figueirense) e Eduardo Person (Joinville)


MEIAS: 
Ouro: Daniel Costa (Tubarão) e Jorge Henrique (Figueirense)
Prata: Gustavo Ferrareis (Figueirense) e Jean Lucas (Inter de Lages)
Bronze: Canteros (Chapecoense) e Elvis (Criciúma)


ATACANTES
Ouro: André Luis (Figueirense) e Rafael Grampola (Joinville)
Prata: Lima (Hercílio Luz) e Wellington Paulista (Chapecoense)
Bronze: Guilherme (Chapecoense) e Madson (Joinville)


TREINADOR
Ouro: Milton Cruz (Figueirense)
Prata: Gilson Kleina (Chapecoense)
Bronze: Waguinho Dias (Tubarão)

PREPARADOR FÍSICO
Ouro: José Mário Campeiz (Figueirense)
Prata: Marcos Antônio Cezar (Chapecoense)
Bronze: Agenor Junqueira Barbosa Neto (Tubarão)


ASSISTENTE DE ÁRBITRO
Ouro: Helton Nunes e Kléber Lúcio Gil
Prata: Eder Alexandre e Thiago Americano Labes
Bronze: Alex dos Santos e Neuza Inês Back


ÁRBITRO
Ouro: Bráulio da Silva Machado
Prata: Héber Roberto Lopes
Bronze: Ramon Abatti Abel


PRESIDENTE
Ouro: Plínio De Nês (Chapecoense)
Prata: Cláudio Vernalha (Figueirense)
Bronze: Luiz Henrique Ribeiro (Tubarão)


TOP DA GALERA
Campeão: Daniel Costa


REVELAÇÃO
Ouro: Guga (Avaí)
Prata: Madson (Joinville)
Bronze: Jean Lucas (Inter de Lages)


CRAQUE DO CAMPEONATO
Ouro: Jorge Henrique (Figueirense)
Prata: Rafael Grampola (Joinville)
Bronze: Daniel Costa (Tubarão)


EQUIPE MAIS DISCIPLINADA
Hercílio Luz
ARTILHEIROS
Lima (Hercílio Luz) e Rafael Grampola (Joinville)

 

SC tem primeiros 2 casos de dengue contraídos dentro do estado em 2018

Pacientes foram infectados em Itapema, segundo relatório. Estado também tem 2 casos de febre de chikungunya contraídos dentro de SC.

Santa Catarina registrou os primeiros dois casos de dengue contraídos dentro do estado em 2018, conforme boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) divulgado nesta quinta-feira (5). Os pacientes foram infectados em Itapema, no Litoral Norte.
O estado tem outros três casos de dengue contraídos fora do território catarinense. Os pacientes são moradores de Biguaçu e São José, na Grande Florianópolis, e Porto União, no Norte. Os prováveis locais de infecção são Mato Grosso do Sul, Paraíba e Bahia, respectivamente.
Segundo a Dive, com a confirmação dos dois casos em Itapema, foi feita a aplicação de inseticida no município.
 

Febre de chikungunya e vírus da zika
 
Também há dois casos de febre de chikungunya contraídos dentro de Santa Catarina. Ambos os pacientes foram infectados em Cunha Porã, no Oeste. Um caso de uma pessoa que teria contraído a doença em São Miguel do Oeste, no Oeste, é investigado.
Outros três casos confirmados foram de pessoas que contraíram a doença fora do estado. São moradores de Cunha Porã, Tubarão, no Sul, e Itajaí. Os dois primeiros foram infectados em Mato Grosso e o último, no Rio de Janeiro.
Não há casos de vírus da zika em Santa Catarina este ano.
 

Infestação
 
No estado, 67 municípios são considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor dessas três doenças:

Para evitar a proliferação do mosquito, a Dive recomenda:
 

Evitar usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, colocar areia até a borda;
Guardar garrafas com o gargalo virado para baixo;
Manter lixeiras tampadas;
Deixar os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
Tratar a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;
Manter ralos fechados e desentupidos;
Lavar com escova os potes de comida e de água dos animais, no mínimo, uma vez por semana;
Retirar a água acumulada em lajes;
Dar descarga, no mínimo, uma vez por semana em banheiros pouco usados;
Manter fechada a tampa do vaso sanitário;
Evitar acumular entulhos, pois podem se tornar locais de foco do mosquito;
Denunciar a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde.

Fonte: G1 SC


 

Por 6 votos a 5, STF nega habeas corpus a Lula

Discreta, a ministra Rosa Weber lia havia mais de 50 minutos um voto considerado indecifrável aos espectadores que acompanhavam ao vivo o julgamento do habeas corpus a Luiz Inácio Lula da Silva (PT)pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A noite caiu sobre Brasília e milhares de manifestantes país afora já exibiam cansaço quando, enfim, a gaúcha negou ao petista a concessão do recurso.

A posição acabou com o enigma em torno da magistrada e conferiu, naquele momento, placar de 4 a 1 contra o ex-presidente, abrindo caminho para a prisão de uma das maiores personalidades políticas da história brasileira e líder das pesquisas sobre a corrida pelo Palácio do Planalto.

À 0h09min, já na madrugada desta quinta-feira (5), após mais de 10 horas de sessão, foi confirmado o placar de 6 a 5 pela rejeição ao pedido  – com o voto decisivo sendo dado pela presidente da Corte, Cármen Lúcia. A partir de agora, começa a contagem regressiva para o encaminhamento e a análise dos embargos dos embargos, último recurso do petista no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), mas incapaz de alterar a condenação de 12 anos e um mês de prisão.

Cercado de controvérsias há semanas, o julgamento teve seu ápice de tensão na hora do voto de Rosa, que deixou mais evidente a divisão do plenário. Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski interpelaram a colega, questionando se teria a mesma opinião caso estivessem em análise as duas ações declaratórias de constitucionalidade (ADCs) que tratam da prisão em segunda instância de forma geral – a possibilidade foi defendida no início da sessão por Lewandowski e mais uma vez refutada pela presidente do STF, Cármen Lúcia.

Rosa seguiu a posição do relator do caso, Edson Fachin, assim como já haviam feito Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso. Gilmar Mendes havia sido o único voto dissidente até então. 

A ministra voltou a afirmar que, apesar de sua posição pessoal contrária à execução da pena após condenação em segunda instância, respeitaria a jurisprudência formada pela Corte em 2016. Com isso, deixou margem para interpretações de que poderia dar outro voto se o julgamento fosse a respeito da revisão geral da regra.

Contrariado, Marco Aurélio, favorável a prisões somente após trânsito em julgado, interrompeu Rosa para cobrar Cármen Lúcia sobre duas ADCs, prontas para serem votadas, que poderiam alterar o entendimento sobre o assunto:

— Vence a estratégia, o fato de vossa excelência não ter colocado em pauta as ações declaratórias de constitucionalidade.

Cármen Lúcia apenas comentou que o assunto já havia sido tratado e suspendeu a sessão para um intervalo. Nos bastidores da Corte, entre jornalistas e nas redes sociais, falava-se na possibilidade de pedido de vista por um dos descontentes, o que não ocorreu.

Após a retomada, consolidou-­se a posição do relator, que havia sido o primeiro a se manifestar. 

Segundo Fachin, não se pode alegar ilegalidade ou abuso na prisão de Lula, já que há jurisprudência no STF. Sem entrar no mérito da sentença do petista, destacou que o hábeas não deveria ser usado para se “revisitar” a possibilidade de execução de pena após condenações em segunda instância:

Em seguida, adiantando seu voto devido a viagem para Portugal – de onde retornou ao Brasil apenas para o julgamento –, Gilmar Mendes fez longa exposição. Como resposta às críticas pela mudança de posição sobre antecipação da execução de penas, já que foi favorável em julgamento de 2016, destinou longo trecho em seu voto para explicar o fato.

Deixou o plenário logo após votar favoravelmente a Lula, de forma “monumental”, segundo a defesa do petista. Em seguida, Moraes votou pelo indeferimento e defendeu a atual regra, lembrando que, desde a promulgação da Constituição, há quase 30 anos, apenas em sete anos houve o entendimento de que as prisões deveriam ocorrer após o trânsito em julgado.

Um dos votos mais longos foi o de Luís Roberto Barroso, contrário ao petista. Em cerca de uma hora e 20 minutos, disse que o texto constitucional permite a interpretação de que as prisões podem ser antecipadas. Mudar o entendimento seria “um passo atrás muito largo” no combate à corrupção, praticada pelos “verdadeiros bandidos do Brasil”. 

Enquanto a defesa do réu evitava se manifestar publicamente no decorrer da sessão, aliados do petista escancararam a indignação em relação a Cármen Lúcia por não ter pautado as ações que definiriam a regra para todos os réus.

— A presidente está impondo à Corte um impasse desnecessário. Ela não deveria fazer isso chegar às rédeas da irresponsabilidade. Ela sabe que há entendimento majoritário diferente e se recusa a pautar as ADCs — disse o deputado federal Wadih Damous (PT­RJ), ex-presidente da OAB-RJ.

Veja como votaram os ministros do STF:
Edson Fachin – votou contra o hábeas
Gilmar Mendes – votou a favor o hábeas
Alexandre de Moraes – votou contra
Luís Roberto Barroso – votou contra
Rosa Weber – votou contra
Luiz Fux - votou contra
Dias Toffoli – votou a favor
Ricardo Lewandowski – votou a favor
Marco Aurélio Mello – votou a favor
Celso de Mello - votou a favor
Cármen Lúcia - votou contra

Fonte: DC 

 

O segredo do investimento está em saber poupar, afirmam especialistas

O assunto é destaque na terceira reportagem da série do Bom Dia Santa Catarina, Seu Dinheiro Vale Mais.

Se investimento fosse um idioma seria daqueles difíceis de entender. Siglas como CDB, LCI, LCA, renda fixa, ações, debêntures, tesouro direto, bolsa de valores, câmbio, fundos imobiliários parecem difíceis de entender. Para quem está interessado em falar esse "idioma" precisa começar aprendendo uma palavra com 6 letrinhas: poupar.


O assunto é destaque na terceira reportagem da série do Bom Dia Santa Catarina, Seu Dinheiro Vale Mais que mostra exemplos de jovens investidores catarinenses que tiveram disciplina e hoje colhem os frutos.
A gente sabe que poupar é difícil para o brasileiro que paga muitos impostos, que nem sempre tem acesso ao serviço público de qualidade e que tem um passado que ensinou a ganhar e gastar.


Nos anos 80 e 90 os brasileiros faziam compras para estocar. Tudo para evitar o aumento de preços que mudava dia e noite por causa da inflação. Hoje a inflação "galopante" não é mais desculpa, mas ganhar e gastar continua sendo um hábito.
Para os especialistas o grande erro está em não valorizar os pequenos gastos do dia-a-dia. São as pequenas quantias que podem se tornar os vilões no final do mês e aí o dinheiro vai embora mesmo.


A poupança costuma ser mesmo a melhor amiga. É simples, sem tributação e de baixo risco. Mas o dicionário do investimento é grande e quem se dedica a aumentar o vocabulário nesse assunto sai ganhando.
O abc do investidor está na ponta da língua do estagiário Pedro Henrique Dresh, de 25 anos. Ele poupa desde os 18 anos.
 

"Há 7 anos eu realizo aportes de R$ 500, então sempre quando entra o meu salário a primeira coisa que ja faço é deixar separado", revela.
 
Mas na hora de investir o que sobra, ele deixa para quem domina o assunto com fluência.
"Eu não tenho tempo de ficar entendendo como é esse mundo financeiro, então eu prefiro poupar e repasso esse dinheiro para alguém investir por mim. Coloco esse investimento numa gestora, porque lá eles colocam em ações, tesouro direto, o que eles acharem mais adequado naquele momento", explica.

Enquanto Pedro Henrique vê os rendimentos se multiplicarem, acompanha os reflexos do seu hábito em toda a família.
"No fim das contas os juros te ajudam e não te complicam, se você souber usar eles. Depois que eu comecei a poupar minha mãe também começou a se interessar pelo assunto, eu consegui trazer lá pra casa uma mentalidade de investimento que minha mãe, meus pais também possuem", finaliza.
Já a Nathália Arcuri, youtuber de finanças, conseguiu comprar o próprio carro com o próprio dinheiro à vista aos 18 anos. Aos 23, ela comprou o próprio apartamento e quando fez 32 anos ela juntou R$ 1 milhão.


"Tem que estudar. Não adianta ficar aqui falando e não adianta ter preguiça, enquato você tiver preguiça, tem gente ganhando dinheiro. Deixar dinheiro na poupança por questão de comodismo é jogar dinheiro no lixo, você já se esforçou o suficiente para conseguir poupar, deixar ele na poupança é entregar na mão do banco a possibilidade de fazer dinheiro com o seu dinheiro", diz Nathália.
Atualmente, ela traduz essa "língua" para muita gente na internet.


"Com R$ 30 você consegue investir todos os meses e investir igual gente que investe R$ 1 milhão todos os meses. Se você ficar esperando ficar rico para investir, você nunca vai ficar rico. O investimento rende sobre ele mesmo, e essa coisa do juro composto que faz os investimentos trabalharem sozinhos. O seu dinheiro trabalha para você, você não precisa fazer nada, é só deixar ele lá que ele rende sozinho".
E finaliza a dica.
 

"Isso é possível independentemente da classe social. Só precisa ter disciplina e conhecimento sobre o mundo dos investimentos. Um pouquinho de tempo que você investe no conhecimento que traz um retorno gigantesco para a vida de qualquer pessoa".
 
"Outro passo muito importante na vida do pequeno investidor é abrir uma conta numa corretora de valores. Tem várias corretores, simples, de graça, tudo pela internet super seguro. Dá trabalho no começo? Dá, mas me dá dois meses que você vai ver a diferenca que isso vai fazer na sua vida financeira", conclui Nathália.

 Consultoria
 
O site do Banco Central oferece cursos de graça sobre investimentos. O importante é saber que não existe o melhor investimento e sim o melhor investimento para cada tipo de pessoa. Para isso, é preciso levar em conta o momento da vida, os objetivos, a capacidade de poupar, a duração do investimento e a tolerância ao risco.


O consultor financeiro Alexandre Amorim alerta que é importante procurar um profissional credenciado para auxiliar quem deseja investir.
"Assim como a gente vai atrás de nutricionista, personal trainer, é importante ter um planejador financeiro ou um consultor ou gestor de investimentos, e nesse caso alguém independente que não esteja ligado a uma instituição financeira", orienta Alexandre .


E para quem tem dúvidas sobre o melhor momento de começar a investir, Alexandra dá a dica.


"O melhor momento é o mais cedo possível, assim que você começar a ter renda, os investimentos rendem via juros compostos, ou seja, os seus rendimentos geram rendimentos e é aí que a gente brinca: faça o seu dinheiro trabalhar pra você."

Fonte:G1 SC
 
 

Em mensagem de Páscoa, Temer diz que é preciso "pacificar e reunificar" o País

Em uma mensagem publicada no Twitter na manhã deste domingo, 1, o presidente Michel Temer afirmou é necessário "pacificar e reunificar" o País. Ele comparou as medidas adotadas pelo seu governo ao significado da Páscoa.

"Páscoa é passagem para uma nova vida. É o que está acontecendo no Brasil hoje. Saímos da pior recessão de nossa história e estamos oferecendo ao brasileiro um País revigorado", diz o texto.

O presidente não tem compromissos oficiais registrados em sua agenda. Após a prisão de aliados pela Polícia Federal, que foram soltos na noite de sábado, 31, Temer cancelou uma viagem que faria a São Paulo. Neste feriado, até o momento, a mensagem de Páscoa foi a única manifestação pública do emedebista.

"Precisamos, agora, com o espírito da Páscoa, pacificar e reunificar a nossa gente", escreveu o presidente.

Confira o Tweet do Presidente: 

 Páscoa é passagem para uma nova vida. É o que está acontecendo no Brasil hoje. Saímos da pior recessão de nossa história e estamos oferecendo ao brasileiro um País revigorado. Precisamos, agora, com o espírito da Páscoa, pacificar e reunificar a nossa gente. Feliz Páscoa!

Fonte: DC

50 municípios em SC estão em situação de alerta por infestação pelo Aedes aegypti

A luz de alerta está acesa para 50 municípios catarinenses em relação ao mosquito Aedes aegypti. Eles apresentam alto e médio risco de transmissão de dengue, zika e chikungunya, segundo o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa). A inspeção, que é uma recomendação do Ministério da Saúde, foi realizada neste mês por 63 dos 64 municípios considerados infestados. Só São José ainda não realizou o levantamento, informou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC (Dive-SC). 

— Tanto o médio como o alto risco preocupam, porque indica o índice de infestação predial, ou seja, qual a presença de mosquitos e larvas nos municípios. O levantamento mostra que há uma grande presença nestes municípios, o que gera o risco de ter transmissão — explica o  coordenador do Programa de Controle da Dengue da Dive, João Fuck. 

O número de cidades com alto risco de transmissão saltou de uma em novembro- São Domingos, no Oeste - para 17. Dessas, 15 estão no Oeste e duas no Litoral Norte (Balneário Camboriú e Itajaí).  Já as de médio risco somam 33 cidades. Além disso, os outros 13 municípios estão enquadrados como baixo risco. 

 De acordo com o levantamento, 45 mil depósitos continham água parada, ou seja, todos potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti. A maioria era lixo ou sucata e depósitos móveis, como balde, prato de planta e bebedouro de animais 

A Dive-SC também divulgou nesta quinta-feira a situação dos focos do mosquito no Estado.  Foram identificados 5.621 focos em 122 municípios, um aumento de 67,8% se comparado ao mesmo período do ano de 2017.

Além disso, até dia 17 de março, o Estado registrou dois casos de chikungunya, contraídos em Cunha Porã. Esses são os primeiros casos da doença em SC (até então todos eram de outros Estados). A cidade do Oeste também teve um caso importado, assim como Itajaí e Tubarão. No total, são cinco casos da doença. Também foram confirmados três casos de dengue, todos importados. Até o momento nenhum caso de zika foi identificado. 

Aumentou ainda o número de municípios infestados pelo Aedes aegypti no Estado: agora são 65. Em comparação ao último boletim, houve a inclusão do município de Iraceminha, no Oeste. 

Fonte: NSC 

 

Educação financeira começa na infância, dizem especialistas

Na primeira reportagem da série do Bom Dia Santa Catarina você confere exemplos que vem de dentro de casa e da escola.

A educação financeira começa na infância, dizem os especialistas. A primeira reportagem da série Seu Dinheiro Vale Mais, do Bom Dia Santa Catarina, mostra exemplos positivos da relação entre pais e filhos e o papel da escola nesse processo.


Para o Juliano Fernandes, que é coach financeiro, tudo começa principalmente dentro de casa.


"Desde criança, desde a nossa infância, a gente não tem a educação financeira, a gente não teve educação financeira na escola, na faculdade e a gente chega na fase adulta, sem saber como lidar com o dinheiro, então a gente prefere consumir do que guardar dinheiro,a gente prefere consumir do que investir no nosso futuro, investir nos nossos sonhos", argumenta.


Um exemplo veio da casa do garçom Neuri de Medeiros, pai do Vitor Gabriel dos Santos, de 13 anos. As moedas que o Vitor Gabriel cata pela casa ou que sobram do troco do pão vão parar numa caixa que virou cofre e já chegou a ter R$ 200.


Foram meses até ele conseguir comprar a chuteira e a bola, mas isso não foi um problema para o Gabriel. Ele sabe bem a importância de se planejar.
A regra número um para quem tem planejamento financeiro é poupar para momentos de emergência, imprevistos. E no caso do Gabriel, isso é algo que ele aprendeu desde muito cedo. Já que há 13 anos ele mesmo foi o inesperado na família.


"A gente teve ele muito cedo, com 16 anos, ela ficou grávida dele. Então, ele acompanhou toda a nossa fase de construção, de juntar dinheiro, comprar terreno, então ele amadureceu muito com isso e aprendeu a dar valor ao dinheiro", conta Neuri.


E economizar foi uma lição que Gabriel aprendeu desde cedo com o pai.
 

"Desde pequeno ele sempre me ensinou a guardar dinheiro, a ter meu próprio dinheiro, a saber gastar, economizar, guardar", conta o estudante.

E ensinou tão bem, que às vezes, até se surpreende. "Ano passado o celular dele [Vitor Gabriel] quebrou. 'Filho o pai vai parcelar um celular pra ti'. A resposta que ele me deu: 'pai, não precisa eu espero'. Primeiro paga as contas", disse Gabriel.


"Isso me chocou né? Eu até consegui guardar um dinheirinho e comprei à vista depois", contou Neuri.


"Eu pensei que eu podia esperar, não era uma coisa tão necessária naquele momento", argumentou Gabriel.


Outro exemplo vem da casa da médica Vanessa Stüpp Schwitter, que multiplica os bons hábitos financeiros. Ela tem um casal de filhos, a Lara e o Léo.
"Se nao tiver uma harmonia entre aquilo que tu falas e aquilo que tu faz, a criança vai pegar isso rápido... e isso aumenta a responsabilidade como pais mesmo, porque eles estão observanddo aquilo que a gente faz", afirma a médica.


A Lara juntou dinheiro por dois anos para comprar o computador e o Léo, a bicicleta e o videogame.


"Não que a gente nao pudesse dar a bicicleta, mas esse prazer que eles tiveram nesse processo de guardar o dinheiro, depois poder comprar e entender que participaram de uma forma ativa isso é muito legal", conta a mãe.


"Quando eles são muito pequininhos eu acho que colocar o limite e persistir no limite, porque as vezes é dificil. A criança usa das estratégias que ela tem pra conseguir o que ela quer e a gente tem que ser firme. Até uma determinada idade da trabalho se manter firme, porque nem sempre tu tem paciência, às vezes prefere ceder logo para resolver a situação, principalmente quando é em público, essa é uma dica que deu certo. Existe não, e não é não", finaliza Vanessa.


Para o coach financeiro, essa relação de confiança entre pais e filhos é fundamental para o aprendizado.

Fonte: G1 SC

Ao Vivo

Trânsito Agora

Tempo